Delegada conta detalhes sobre atropelamento de mulher ocorrido na Avenida JK

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Please enter banners and links.

A delegada Araci Carmen Costa Vargas deu detalhes à imprensa sobre o atropelamento de uma mulher ocorrido por volta das 6h da manhã desta segunda-feira (19), na Avenida JK. A vítima foi identificada como Jéssica da Silva Padilha, de 31 anos. Ela estava grávida de quatro meses.

De acordo com a delegada, o motorista do caminhão e o ajudante que estava com ele na cabine, foram de maneira espontânea até a 6ª Subdivisão Policial da Polícia Civil, que investiga o caso, para prestar depoimento e contar suas versões dos fatos.

Segundo o motorista, ao reduzir a velocidade no radar eletrônico próximo ao viaduto da JK com a BR-277, a vítima foi ao encontro do caminhão, subiu a escada que dá acesso à cabine pelo lado do passageiro e tentou abrir a porta. Tanto o motorista quanto o ajudante, que estavam chegando naquele momento a Foz do Iguaçu para fazer uma entrega, pensaram se tratar de um assalto. Próximo ao semáforo, a mulher se desequilibrou, caiu no asfalto e logo em seguida o caminhão passou por cima dela, matando Jéssica na hora.

Nem o motorista quanto o ajudante perceberam o atropelamento, e por pensarem que era um assalto, também não pararam para ver a situação da mulher, muito menos chamaram por socorro. A delegada ainda disse, que segundo o depoimento dos dois, a vítima parecia estar sob efeito de álcool ou drogas. Mas, exames de sangue realizados pelo Instituto Médico Legal (IML) poderão comprovar isso. Assim, como imagens de segurança da via estão sendo analisadas pela Polícia Civil na investigação.

Após o depoimento do motorista, ele foi liberado.  “Como ele se apresentou voluntariamente, não foi expedido o mandado de prisão, porque a lei assim prevê”, explicou a delegada.

Facebook Comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *