Em Ciudad del Este, câmeras flagram cobrança de propina na aduana paraguaia

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Please enter banners and links.

Várias filmagens em circuito fechado que foram compartilhadas na segunda-feira (19) mostram funcionários da alfândega paraguaia em uma atitude bastante surpreendente ao conduzirem verificações em veículos particulares.

Nos vídeos você pode ver como um grupo de 5 a 6 pessoas se aproxima de cada um dos carros fiscalizados no almoxarifado da Administração de Navegação e Portos. Inicialmente, é possível ver a forma como observam os artigos e produtos transportados na estrada, passando depois a conversar com o motorista.

É neste momento em que – a julgar pelas mesmas imagens – os trabalhadores aparentemente recebem uma soma de dinheiro que depois acabam por colocar no bolso, o que é registrado de forma bastante notória.

Essa situação se repete em mais de uma ocasião no mesmo local e envolvendo as mesmas pessoas, de acordo com os dados movimentados atualmente.

Depois de tomar conhecimento desta situação, a Direção Nacional de Alfândegas, através do seu Departamento de Assuntos Internos, decidiu iniciar uma investigação que concluiu que os funcionários Pedro Rolando Benítez e Cándido Salinas Vera tinham recebido somas de dinheiro (propinas) em troca de que uma quantidade significativa de mercadorias entre no território aduaneiro.

O documento fornecido indica que as outras pessoas que aparecem nas imagens não seriam funcionários da alfândega, mas sim “secretários” de várias instituições como a Marinha Nacional, Crimes Econômicos, Ministério da Agricultura e Pecuária (MAG), Senave, entre outras. Eles estariam agindo como “colecionadores” ao receber subornos.

A denúncia do caso já foi protocolada no Ministério Público pela suposta prática de ato punível de corrupção passiva. Da mesma forma, os funcionários aduaneiros estarão sujeitos a um sumário administrativo.

Facebook Comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *