Procuradores da República tentaram forjar provas para incriminar Jair Bolsonaro

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Please enter banners and links.

Deltan Dallagnol se referia ao presidente da República pelo apelido de Bozo. Promotores da lava Jato e seus parceiros disseram em grupos de Telegram que Bolsonaro tem ideais fascistas, misóginos e o compararam a Hitler.


Procuradores da República ligados a Operação Lava Jato tentaram forjar provas para incriminar Jair Bolsonaro. Eles também o chamaram de Bozo, afirmaram que tinha ideias fascistas e o compararam a Hitler.


Essas informações, obtidas pela reportagem, são apenas algumas amostras de trechos, entre centenas em que Bolsonaro é citado nas mensagens da Lava Jato, entre os anos de 2015 a 2019. Esse conteúdo é o mesmo que está em posse do Supremo Tribunal Federal e que, após decisão do Ministro Ricardo Lewandowski, foi compartilhado com a defesa do ex-presidente Lula.


A Procuradora da República Monique Cheker sugeriu, em um chat de um grupo no Telegram com procuradores da Operação Lava Jato, forjar provas para incriminar Jair Bolsonaro no caso da pescaria de Angra dos Reis julgado em 2015. Após a Ministra Carmen Lúcia, relatora do caso no STF, defender o arquivamento do caso, Monique perguntou no grupo dos procuradores se alguém poderia tentar falar com os ministros do STF sobre isso e em seguida disse que conheceu um professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) em um evento de pesca e que ele poderia fazer um parecer contrariando o relatório de Carmen Lúcia, que aplicou ao caso o princípio da insignificância.

Dessa forma, a procuradora, encomendaria um parecer técnico, já sabendo o resultado, com objetivo claro de incriminar, ainda em 2015, o então deputado federal Jair Messias Bolsonaro.


“Estou num evento de pesca e encontrei com um professor da UERJ. Falei com ele a problemática do caso do Bolsonaro no STF e ele disse que se a gente quiser ele faz um parecer dizendo que o dano à estação ecológica nada tem a ver com a questão da quantidade de peixes.
Vc acha interessante? Posso expedir um ofício à ele e depois te mandar o parecer”, disse Monique.

A procuradora, que tentava incriminar Bolsonaro, o chamou de “lixo” em um dos trechos. Confira abaixo os diálogos na íntegra:

Chat Terra de Brutos – 24 de junho de 2015

08:43:24 Monique Carmen Lúcia, Gilmar e CIA aplicaram insignificância no crime de pesca praticado pelo Jair Bolsonaro numa estação ecológica em angra.

08:43:58 Monique Pediu vista o Min. Dias Toffoli.

08:44:16 Monique Isso cria um precedente absurdo.

08:46:20 Monique Há como vocês conversarem com os Ministros? O caso não é de dano mas de pesca irregular. A conduta é formal.

08:46:56 Monique Isso será desastroso para a tutela penal da estação ecológica.

08:52:04 Esse povo só pode ser louco

08:54:48 Carlos bruno Essa decisão é um acinte para a proteção ambiental;

08:55:58 Monique Resumo da ópera: não poderemos processar aquela galera que para de lancha e fica pescando irregularmente, algumas dezenas de peixes, só cargueiro, que tirar Quilos de peixe do mar.

08:57:35 Monique O Bolsonaro não foi processado pelo dano (art. 40 da lei 9605), que ai sim seria material, pois o Ibama não apreendeu o pescado. Mas a pesca (art. 34 da lei 9605) restou caracterizada e confessada!

08:57:35 Monique O art. 34 é formal

08:58:28 Monique E isso vai afetar a denuncia que propus em angra contra duas pessoas (sem foro por prerrogativa) que estavam com ele.

08:58:36 Monique “pode afetar”.

08:59:40 Não é “pode”, é “vai” mesmo, Monique… (Tristeza)

09:01:04 Janice Eu diria que o gato já está no telhado

09:01:28 Monique O juiz pode não concordar com a insignifcncoa. Mas claro que chegando lá no STF… 🙁

09:01:35 E o telhado está ensaboado

09:16:00 Monique Gente, o mais triste é que o argumento da insignificância foi o do Bolsonaro (ele repetia, com aquele ar nojento, que “só estava pescando uns peixinhos”)… Na audiência da câmara dos deputados, para discutir os PLs que foram arquivados recentemente, ele zombou do icmbio e do Ibama. Serio: tira o tubo. (lágrimas)

09:21:40 É difícil, Monique

12 de agosto de 2015 – Chat BD

09:06:19 Monique Estou num evento de pesca e encontrei com um professor da UERJ… Falei com ele a problemática do caso do Bolsonaro no STF e ele disse que se a gente quiser ele faz um parecer dizendo que o dano à estação ecológica nada tem a ver com a questão da quantidade de peixes. Vc acha interessante? Posso expedir um ofício à ele e depois te mandar o parecer.

09:07:24 Monique A denuncia não tem nada a ver com dano mas enfim… Como a Carmen Lúcia falou em insignificância, talvez seja uma boa.

09:10:04 Monique O professor da UERJ disse que os danos não têm relação exclusiva com a biomassa, ou seja, com a quantidade de peixes pegos.

09:14:28 Monique É o Marcos Bastos, ele é diretor do instituto de biologia da UERJ. Acho que tem muito peso.

A procuradora da República, Monique Cheker referiu-se a Bolsonaro, então candidato a Presidente da República, no dia 29 de setembro de 2018, como alguém que defende tortura e com ideias fascistas.

29 de Setembro 2018 – Chat Winter is Coming

14:27:16 Monique Bolsonaro defende tortura e precisará Congresso para aprovar suas propostas fascistas.

Neste outro trecho, a procurada Monique Cheker, disse que Bolsonaro deveria ser extirpado da vida pública e comparou o Bolsonaro à deputada Maria do Rosário:

“Esses lixos se atraem”, disse.

Veja:

20 de Setembro 2018 – CHAT BD

17:26:16 Monique Não é coerência, é monologo: tiro, porrada e bomba. Bolsonaro teria de ser extirpado da vida publica. Eu o vi praticando crime e esculhambando o fiscal do Ibama que o autuou. E depois dá um de moralista. A coerência é com o que? Maria do Rosario, e CIA também causam mal ao discurso que pegam. É a minha teoria dos extremos: esses lixos se atraem

Já em setembro de 2019, a procuradora Monique critica Augusto Aras.

13 de Setembro 2019 – CHAT WINTER IS COMING

17:48:40 Monique A fala de Augusto Aras enfraquece a lista, enfraquece o MPF. É uma fala ruim, lamentável, que vem em momento em que já estamos fragilizados. “Excesso de democracia” no MPF faz com que enxerguemos esses ataques como inocentes mas não são:

“deixe ele falar, pois pluralidade fortalece o debate”. Contudo, se posicionar publicamente assim, neste momento de crise, faz fortalecer, não o debate, mas a burlar a algo que nos é importante. Repito: não vemos isso em outras Instituições. Para mim, esse colega não representa o quero no MPF.

17:48:41 Monique Aliás, este momento, está sendo bem propício a que saibamos que MPF queremos no futuro. Nossa autofagia em nome da “pluralidade de ideias” já nos rendeu perda de atribuições. É a DPU, é a PF, acho que basta. Eu não quero mais isso. E não votarei em quem não se posicionar por resgatar a defesa da Instituição. A lista tríplice é um tema central.

19:29:53 Luiz Lessa Exato

19:30:07 Luiz Lessa De preferência, tem que tatuar na testa

19:30:12 Luiz Lessa esse compromisso

19:39:20 Roberto Alguém resgata já agora now! Hayssa me deve uns três almoços! Não pode fugir assim!

Não era apenas Monique Cheker que não gostava de Bolsonaro. Outros parceiros dos procuradores da Lava Jato também tinham uma certa animosidade contra o presidente. Confira neste chat dos parceiros do MPF
sobre as dez medidas contra a corrupção em que comparam Bolsonaro a Hitler:

04 de Agosto 2018 – Chat Parceiros/MPF 10 Medidas

Gustavo Mas a Justiça Militar foi muito pusilânime na apuração. Deviam ter colocado o Bolsonaro para ser interrogado pelo seu ídolo, Coronel Brilhante Ustra. Aí a verdade apareceria!…

11:12:06 Gustavo (Lembrei-me de outro jovem militar – igualmente arruaceiro, preconceituoso, prepotente, falastrão, simplista e insciente da própria ignorância, supondo-se muito capacitado -, posteriormente, na maturidade, guindado à liderança de massas apaixonadas. Só que este era
austríaco, pintor de aquarelas e sem referencial histórico sobre aonde desemboca esse tipo de liderança populista mais exaltada…)

18 de julho 2017 – CHAT BD

1:19:16 Angelo Aliás, Lula x Bolsonaro é algo que merece comemoração! Difícil imaginar um final melhor para essa história. Só uma bomba atômica seguida de ocupação militar estrangeira. Rs.

3:28:10 Luiza Aqui não tem direita liberal e sim militar , basta ver declarações dos generais da campanha .

13:28:12 Luiz Lessa e a esquerda faz o quê? Fidel fazia o quê? Mao? Stalin? Pol pot

13:28:31 Luiz Lessa E a nossa esquerda vai fazer diferente?

13:28:48 Luiz Lessa só se cooptar a PGR e o STF, como tentaram fazer

13:28:59 Marco Adão Na minha avaliação, Bolsonaro não é direita. É fascismo.

Bozo misógino

14:35:29 Peterson MPF PGR Quem seria o PGR com Bolsonaro ?

14:35:40 Peterson MPF PGR E com Haddad?

14:35:41 Monique Ailton

14:35:52 Peterson MPF PGR sério

14:35:56 Marco Adao Nunca antes na história desse país…

14:35:59 Monique Wadih

14:36:11 Peterson MPF PGR Continua com piada

14:36:34 Monique: (Carinha piscando)

14:36:38 Peterson MPF PGR Setembro do ano que vem . Já já chega

14:37:45 Peterson MPF PGR Lista tríplice para Bolsonaro : Nicolao, Luiza e Blal?

14:37:56 Peterson MPF PGR Lista tríplice para Haddad : Nicolao, Luiza e Blal?

14:38:18 Peterson MPF PGR Não coloquei Raquel , pois deverá estar no STF

14:43:03 Goethe Abreu Fascismo: “Tudo para o Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado ” hummm… Como é fascista quem quer redução do Estado??!!! Será que andam mentindo para mim?!!!

14:48:24 Marco Adao Talvez seja só um Bozo autoritário, misógino e preconceituoso com delírios ultraliberais

Procurador mais experiente da Operação Lava Jato, Januário, que deu nome ao grupo do telegrama Filhos de Januário, em sua homenagem, diz que vai se aposentar apenas “se o Bozo deixar”.

7 Nov 18

08:19:16 Deltan Jan qd Vc se aposentar

08:19:18 Deltan ?

09:07:57 Januario Paludo Integralmente no final do ano que vem, se o bozo deixar. Proporcional já estou.


09:08:25 Januario Paludo Vc tá parecendo o moro.

10:18:59 Deltan Kkk exato

10:19:11 Deltan Seria ótimo ter alguém lá

No dia 26 de abril de 2016, o grupo de Telegram composto por promotores da Lava Jato e parceiros, um dos promotores sugere que o MPF entre com uma ação criminal contra Bolsonaro mesmo sabendo que não terá êxito, mas apenas para que Bolsonaro fosse “esculachado”. Veja os diálogos:

26 de abril 2016

13:51:31 Wellington Para reflexão dos colegas: no episódio da homenagem de Bolsonaro a Brilhante Ustra, quando votou na Câmara pela autorização de impedimento da presidente, veem alguma medida que pudesse caber à PGR ou ao MPF? Algumas pessoas ponderaram que, se coubesse alguma medida contra Bolsonaro, deveria caber também contra um deputado que homenageou Marighella, porque ele também seria terrorista

27 de abril de 2016

10:59:56 Artur Gueiros Divergindo respeitosamente, acho o caso Bolsonaro/Ustra muito grave e acho que a PGR deveria tomar a dianteira em provocar o STF nesse episódio

11:00:45 Artur Gueiros Mesmo com jurisprudência contrária, acho importante institucionalmente o PGR atuar criminalmente contra Bolsonaro

11:02:05 Artur Gueiros Pelo que sei do Supremo, mesmo quando ele vai rejeitar a denúncia ou absolver parlamentar, os ministros se sentem mais a vontade para cair de pau em cima do respectivo parlamentar

11:03:19 Artur Gueiros Enfim, acho que há fundamento jurídico, e, mesmo que com poucas chances de êxito, a PGR deve agir nesse episódio em prol dos valores caros a nossa sociedade

11:04:53 Artur Gueiros Enfim (2), mesmo rejeitando/absolvendo em razão da imunidade parlamentar, ele merece o constrangimento de ser esculachando pelos ministros da Corte

11:05:01 Artur Gueiros *esculachado

11:20:17 Douglas Concordo com a ideia. Mas o STF tem sido inflexível mormente se falado dentro do congresso como foi caso de bolsonaro.

Por meio de nota, o MPF afirmou que:

“1. Os procuradores da República que integraram a força tarefa Lava Jato reafirmam que não reconhecem a autenticidade e a veracidade das mensagens criminosamente obtidas por hackers que estão lhe sendo atribuídas. Os supostos diálogos constantes nessas mensagens, editados,
descontextualizados e deturpados, vêm sendo utilizados de forma deliberada e sistemática para fazer falsas acusações contra a operação, sem correspondência na realidade, por pessoas movidas por diferentes interesses que incluem a anulação de investigações e condenações.

  1. O material apresentado pela repórter indica que as supostas mensagens sobre o julgamento relacionado a Angra dos Reis teriam sido emitidas por terceiros, não integrantes da força-tarefa em Curitiba. Assim, não guardam qualquer relação com as investigações que tiveram curso na
    Operação Lava Jato.
  2. Conforme já explicado anteriormente, a força-tarefa do caso Lava Jato em Curitiba tinha atribuição limitada à investigação de crimes relacionados às empresas do Grupo Petrobras, de forma que nunca realizou, absolutamente, quaisquer investigações em relação ao atual presidente ou a sua família. Reitera-se que a circunstância de meramente se fazerem comentários sobre fatos publicados na imprensa ou sobre outras investigações públicas não relacionadas à Lava Jato, se ocorreram do modo como publicados, não significa ou autoriza a conclusão leviana de que existiria investigação em desfavor do atual presidente ou seus familiares.”

Fonte: Jornal da Cidade

Facebook Comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *