Acifi entra com mandado de segurança para garantir abertura do comércio em Foz

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Please enter banners and links.

A possibilidade de Foz do Iguaçu voltar a adotar medidas rígidas para conter o avanço do novo coronavírus (covid-19) tem tirado o sono de empresários, especialmente do setor comercial. O temor é que a Prefeitura decrete a suspensão das atividades não essenciais, toque de recolher e lockdown nos finais de semana. Nesta quarta-feira (12), a cidade voltou a registrar um alto índice de infectados e mais duas mortes por complicações da doença.


A suspensão das atividades comerciais semelhantes as adotadas em março, só que em nível regional, ganhou destaque na terça-feira (11) em reunião de prefeitos e secretários de saúde dos municípios da 9ª Regional de Saúde. A estratégia, que está sendo discutida com o Governo do Estado, seria adotada diante o aumento da média móvel de novos casos de covid-19 e internamentos hospitalares.


“Ter um novo lockdown é um absurdo”, disse ontem o empresário Faisal Ismail, presidente da Associação Comercial e Empresarial (Acifi). “Não tem um embasamento técnico para que a gente possa entender onde está o sentido de fazer este bloqueio da cidade novamente”, analisou, em entrevista ao GDia. 


“Nós temos que ter a maturidade de entender os segmentos que podem estar influenciando ou não”, ressaltou. Na avaliação de Faisal, como tem uma pandemia em estágio de avanço “e a população, com mais de 50% com a contaminação já realizada”, entende que o lockdown não é a solução. Ele acredita e defende a necessidade de “fazer o tratamento preventivo, com bloqueios regionais da cidade, quando necessário”. 

Decisão judicial
A Acifi, segundo Faisal, já entrou com mandado de segurança para garantir a abertura do comércio. “Estamos aguardando resposta com o juiz de Curitiba para que a gente possa então encaminhar no processo da liberação das empresas para que possam trabalhar”, informou.
Um novo lockdown, “sem justificativa”, vai prejudicar enormemente a economia de Foz do Iguaçu. “Nós temos uma cidade turística que não é um local turístico e sim uma cidade, uma região inteira. E as pessoas quando se programam para fazer turismo, se programam para fazer suas compras, ir ao Paraguai, para fazer várias atividades”. 

Facebook Comentarios

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *